sexta-feira, 30 de julho de 2021

XANGAI : " COMO SECRETÁRIO MINHA MISSÃO É HARMONIZAR E LEVAR A CULTURA DE VITÓRIA DA CONQUISTA PARA O MUNDO"

Xangai aceitou o convite da prefeita Sheila Lemos para a Secretaria de Cultura do Município. Na foto, também, o secretário Lucas Dias
 

 

 Nomeado secretário de Cultura, ontem (26), pela prefeita Sheila Lemos, o cantor, ou cantador, como ele prefere, compositor e poeta Xangai assume afirmando que sua meta é harmonizar o setor, evitar a política e valorizar as manifestações culturais de Vitória da Conquista, levando-a o mais longe possível: o planeta. Eugênio Avelino Lopes Souza assume seu primeiro cargo público aos 73 anos e entra prometendo buscar recursos para estimular a produção da verdadeira cultura conquistense, ao tempo em que quer ofertar para a cidade o melhor da cultura nacional. Para isso, a prefeita Sheila Lemos lhe deu toda autonomia, diz.

Sobre a nomeação, Xangai diz que é uma honraria e que sua primeira missão é evitar que a política e os conflitos atrapalhem o seu trabalho. “Recebo como uma honra, uma missão, um desafio. Uma das primeiras atitudes, uma atitude que será constante, será tentar harmonizar e não deixar passar ranço de política, de politicagem”. O cantor e compositor disse que falou isso à prefeita antes de aceitar o convite para ser secretário. “Eu expus isso à prefeita que eu não sou filiado a partido político nenhum, nunca fui. Eu tenho minhas opções e quando vou votar eu voto em que eu acho que devo votar, mas tem pessoas que têm suas preferências, seus lados políticos, e eu, como sempre, na minha trajetória, transitei independentemente de que partido as pessoas sejam”.

Xangai assegura que não é de nenhum extremo, mas convive com todo mundo. “Às vezes eu estou junto de pessoas de extrema-direita, que falam o que querem, e eu, enquanto um democrata, na postura de cavalheiro que busco ser, que faço tudo para ser, eu respeito, porque essa é a postura de um democrata: respeitar a fala, a opinião, o parecer de cada um, é o meu dever. Em outras ocasiões, eu estou junto de pessoas de extrema-esquerda, consideradas assim, e que falam, também, o que quiserem e eu continuo respeitando”, explicou o cantador.

Para o novo secretário de Cultura de Vitória da Conquista, essa relação é a mesma com o público, quando ele faz sua apresentação. “Rapaz, quando eu chego para me apresentar em uma praça – ou no teatro, onde as pessoas pagam ingresso -, exercendo a minha função de cantador, de músico, uns dizem até que de poeta, ali tem gente que pensa cada um de uma forma, mas eu estou cantando para o povo, para meu povo, respeitando a todos no seu pensar”, conta.

Xangai diz que a forma dele de fazer política é a política da poesia. “Eu sou um esteta, que, como você sabe, os estetas são apreciadores do belo. Então, é por essa beleza que eu quero levar uma poesia que sirva para clarear as ideias, como eu gosto de dizer, para auxiliar a evolução do meu semelhante. Uma música boa, que seja de Dorival Caimmy ou de Gilberto Gil ou de Elomar, de Cartola, de Renato Teixeira serve para ajudar nessa evolução. E quando digo ‘auxiliar a evolução do meu semelhante’ falo também da minha própria. Tem tanta coisa bonita que, no meu caminhar, eu venho aprendendo”.

É com esse sentimento que Eugênio Avelino quer promover o que ele chama de encontro entre as classes da artes, da cultura. “E quando eu falo cultura, é tudo o que abrange a vida do ser humano, a gastronomia, por exemplo. Não é só músico, compositor, ator, escritor, é muita gente que a cultura representa. Eu quero exercer essa função com muita humildade. Espero ter sabedoria para harmonizar entre todos, quem pensa de um jeito ou de outro”, diz o artista e assegura que vai buscar recursos para que seu desejo se realize e a classe, tão prejudicada pela pandemia, tenha melhor condição de sobrevivência.

“Na medida do possível eu vou buscar algum tipo de recurso para auxiliar essa classe artística – de todo lado! Para a costureira, o cantador, a cantadeira, porque essa pandemia tolheu, impediu alguns até de terem uma sobrevivência básica. Vamos ver que recurso a gente pode alavancar para atender minimamente possível a nossa classe, o ser humano. Existe possibilidade, os dinheiros existem, é preciso que a gente abra as portas e exista uma distribuição de condições de vida e de realizações”, afirma o cantador, para quem, a esperança é a vacina. “Espero que, com a vacinação, daqui a pouco as portas da casas se abram para as pessoas trabalharem e possam exercer suas funções de músicos, de poetas, de artista, enfim, de tudo o que envolve a cultura e as nossas tradições populares”.

Xangai diz que Vitória da Conquista é um referencial na cultura baiana, brasileira e mundial e lembra que a cidade tem, “simplesmente, o cineasta mais famoso do Brasil, que é um parente meu, primo da mãe, Glauber Rocha, e Elomar, que é, simplesmente, o maior compositor deste planeta, a obra mais valiosa deste planeta quem faz é Elomar. E não são apenas Glauber e Elomar, aqui tem escritores extraordinários, atores, compositores, músicos e é preciso que haja uma união de todos”.

O secretário de Cultura diz, ainda, que Vitória Conquista tem uma pujança cultural na zona rural para ser aproveitada. “São nossas tradições populares e  isso pode ser mostrado e valorizado. Eu vou me empenhar para buscar recursos, junto com a prefeita, que me deu essa autonomia e a força que ela tem. Estou em busca de reconhecer as nossas tradições populares e fazer com que isso seja mostrado, nem só para nós, para nós e para fora, aonde for. Chegar lá e dizer: Eu sou de Conquista e vim te conquistar!”.

 

Fonte:  https://www.pmvc.ba.gov.br

 

 

 

É FOGO!!!


 A VM FILMES lamenta profundamente a tragédia há muito anunciada em relação a Cinemateca Brasileira que é uma referência para os arquivos latino-americano, um centro de pesquisa e transmissão de conhecimento, tanto por sua produção cultural como por sua missão de preservação e difusão do cinema brasileiro e latino-americano.

quinta-feira, 29 de julho de 2021

ENTREVISTA AO PROGRAMA QUINTAS DE MAIO MELODIA FM

 Beto Magno e Vadinho Barreto

Por Beto Magno 

 

LEGITIMO REPRESENTANTE DA CULTURA, UM "HERÓI DA RESISTÊNCIA"!

 

Conheci Vadinho Barreto durante um show dele, numa noite de 1985, no "Cascas Bar". Ao fim do show seguimos pra Uma "esticada" na noite, paramos no "Massa Rara"... Estávamos eu, uma namorada minha, Nenê ( Carlos Zepelim ), Vadinho Barreto, seu empresário e alguns novos amigos que acabamos de conhecer no ultimo bar. Todos juntos, na farra, numa camionete que eu tinha! Foi a primeira de várias que estavam por vir! Lá no "Massa Rara", inevitavelmente. Vadinho teve que da uma canja...Ah, a festa estava só começando! Foi uma noite inesquecível! Depois não parou mais...lá estávamos nós, Eu e Vadinho... por varias vezes entre canjas e goles nas maravilhosas  noites frias de Vitória Conquista, no "Dose Dupla", no "Taquara Drink Som", "A Chácara", "Portugal", "Boate Cafezal", "Boate Carrascão", "Ali Bar", "Cio da Terra", "Mistura Fina"," Bar Cai 1" "Bar Cultura", "Acalanto", "Mocófaia", "Raízes, Luar do Sertão", "Bareta", "Esquina de Massú", "Luar", "Largo da Carioca", "Barão Bar", "Scala", "Bar do Sabino", " Castelo do vinho",  "Privê dos Curtidores", "Bar Doce Bar", "Panela de Barro", "Arnaldo's", "Ponte de safena", Ali Bar II", "Primavera". Antes não haviam lojas de conveniências então os points dos notívagos, boêmios e poetas eram: ( Bareta, Bar 24 horas e um tal Brasa de Ouro). E muitos outros que de tanto tempo já me falha a memória . Em cada lugar desses pude ver meu amigo cantar, sorrir, poetizar e, assim, a minha admiração por este artista obstinado pelo ofício de cantar foi crescendo. Hoje, assisto ao resultado de tanto talento e determinação concretizado no seu projeto QUINTAS DE MAIO que de forma pungente apresenta e revela os grandes nomes da MPB Nacional e Regional. Sempre no A.A.B.B e no aconchegante "Cultura Bacana".

Parabéns, Vadinho Barreto, pelo esforço, dedicação e empenho pessoal para manter e sustentar um projeto artístico-cultural dessa magnitude por longos 16 anos só com muito empenho e apoio de grandes parceiros.  E você sempre com alegria, garra e vontade conseguiu cair nas graças da sociedade Conquistense, profissionais liberais, empresários e o próprio poder público. Sem contar os inúmeros artistas geniais que nossa cidade oferece.

Eis aqui um fã de seu trabalho e de sua arte.

Beto Magno.


( VM FILMES ).

https://www.vmfilmes.com.br/

 

domingo, 11 de julho de 2021

MUSEU DE KARD - VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA - BRAZIL


 DEPOIMENTO DE RONALDO MALUNGO, CIDADÃO DE EUNAPOLIS, ESCRITOR E VIAJANTE, CONHECEDOR DOS QUATRO CANTOS DESSE BRASIL 

Nasceu o Maior Museu de Arte Contemporânea do Norte e Nordeste Brasileiro! Sempre que adentro no planalto da Conquista, lembro de “dois tresloucados”: Elomar e Glauber... faço o contorno em direção a oeste, para Anagé, e à direita, tem umas obras de Artes Contemporâneas que fazem meu imaginário delirar!  No último mês de junho, fiz esse roteiro novamente, agora com a família, paramos na portaria do Museu e começamos a clicar... um carro estaciona e um rapaz desce e pergunta: Querem entrar? Com certeza! Tudo que a gente queria! Acabamos de conhecer o “terceiro tresloucado”! Ele mesmo: Allan de Kard – o autor daquilo tudo. Artista plástico; nasceu em Itapetinga, mas, se considera Conquistense; até 10 anos não sabia ler – dislexia; fazia seus próprios brinquedos; técnico em Agropecuária na EMARC; Agronomia na UESB e Empresário.
Desde a infância se relaciona com a arte através de suas pinturas e esculturas, que se manifesta em quatro grandes saberes humanos: o saber científico, o religioso, o filosófico e o artístico.
Andando e proseando... “Malungo, só faço isso com pessoas especiais, minha sensibilidade percebe e vou fazer com vocês!” Por quase três horas, Allan nos mostrou e detalhou cada obra: Conquista e o Tempo, Amigos, Guardiãs do Tempo, Tempos ao Vento, Xadrez Nordestino, Tukurê, Labirinto, O Conselho... todas. Além de sermos Emarqueanos, descobrimos vários amigos em comum.
Em Vitória da Conquista, alguns dizem que ele é maluco, outros o têm como um mago, um visionário da Arte Contemporânea. Ele se dedica até 12 horas/dia às suas criações e diz: “tudo isso é da Humanidade, nada é meu!”
Allan é um sopro Divino, que teve o privilégio de ter a imaginação e as condições para executá-las e dar vida às obras de arte. Quem passa em frente ao Museu de Kard, fica encantado com tanta criatividade e testemunha um verdadeiro templo à Cultura! Em texto a gente não consegue resumir a Obra Kard, é preciso visitar, é preciso conhecer.
Por Allan: “Neste trabalho, mais que dinheiro, o que mais tem importância é o tempo dedicado a ele, pois o tempo nunca mais volta”
Num futuro próximo, Vitória da Conquista entrará na agenda como: Roteiro Turístico Cultural!

Avante, sempre! Junho 2021  

Resposta:  Depoimentos como este , são na verdade o Combustível motivacional, para que eu continue enfrentando toda
Ordem. de dificuldades inerentes ao caminho. 
   Dentre elas o reducionismo de muitos, que abismados com o que veem, e não tendo outro argumento, atribui unicamente o feito a questão de privilégio econômico.
    Você me pegou com a mão na massa, são assim os meus dias, numa faina inesgotável, uma sede de realizações que me impulsiona pra frente e para o alto.
    Seu depoimento é de alta significância, primeiro porque é espontâneo, e segundo porque se trata de um não Conquistense, que com um olhar despido de qualquer preconceito, abre o  Coração e deixa fluir palavras encorajadoras para esse humilde artista, que aqui do seu cantinho, agradece aos céus, encontrar pelo caminho pessoas como você.
   Me sinto envergonhado em não ser tudo isso que seus olhos sensíveis viram, mas, me sinto estimulado a um dia sê-lo,
   Forte abraço a você e sua linda família.

Allan de Kard. 

sexta-feira, 18 de junho de 2021

MUSEU DE KARD - VITÓRIA DA CONAQUISTA - BAHIA - BRAZIL.


Por Allan de Kard
 

O CONSELHO

Há pouco o homem havia deixado o hábito nómade para ser tornar sedentário, aparecem as primeiras aldeias que mais tarde se tornam vilas depois Cidades.
Seres gregários que somos andamos em bandos, Hábito ancestral perpetuado ao largo dos tempos. Logo se destacam líderes, que se intitulam condutores das massas. Tirânicos a princípio, governavam pela força e submissão. Mas com o passar do tempo as relações de mando evoluem e agora , não mais um só homem, mas uma elite de sábios ou pseudo-sábios são os que ditam os rumos das coletividades.
A obra o Conselho, trás a lume essa questão do exercício do Poder. A obra se constitui de um Conselho de notáveis composto de treze membros, tendo seu presidente ao meio, numa posição de destaque e os outros 12 formam um Círculo em sua volta. Todos encontram numa posição de reverência, com uma das mãos sobre o peito e a outra por detrás do corpo, e cada uma delas esconde um objeto diferente a saber:
Um Pão, uma rosa, um livro, um pergaminho aberto e outro fechado, uma cruz, uma caneta, uma espada, um chicote, um martelo da Justiça e os demais apresentam-se de mãos vazias. O certo é que cada um responde com o que tem.
A referida obra foi iniciada em 2012 é só agora em 2021 está sendo concluída. A razão disto é que o artista sempre faz 5 ou mais obras ao mesmo tempo. E ao longo dos anos o Conselho foi sendo adiado em detrimento da execução de outras obras.
Assim como O Labirinto 1600m2 é o Xadrez Nordestino 900m2 O Conselho ocupa muito espaço 750m2, portanto as referidas obras só poderiam ser instaladas num espaço das dimensões do Museu de Kard .

quinta-feira, 17 de junho de 2021

PTB - BAHIA


 João Emílio, Luciano Brandão, Gean Prates, Severiano Alves e Beto Magno. PTB - Bahia.

MEU AMIGO VALDIR GOMES BARBOSA (in memoriam)

Valdir Barbosa e Beto Magno


 Meu amigo Delegado Valdir Barbosa, um gentleman, um cavalheiro, um bebedor de quintessência um comedor de ambrosias! Tivemos a honra de tê-lo como ator convidado no nosso filme "MARACANGALHA... EU VOU!" no papel do delegado (nem precisou faze laboratório)... nos deixa boas lembranças das prosas e dos passeios que fizemos juntos.

domingo, 6 de junho de 2021

VITÓRIA DA CONQUISTA E A GERAÇÃO QUE VIVEU TUDO...

 
Uita Mamola - Caricatura de Kleber Trajano

Wilton Amorim ( Uita Mamola ) nasceu no dia 28 de fevereiro de 1950, no município de Vitória da Conquista, na Bahia. Filho de Helvécio Amorim e Eponina Santos de Amorim  e neto de José Manoel de Souza e  Benvinda Amorim de Souza (  avós paternos  )   e de  Manoel Alves dos Santos  e Eufrozina Amorim dos Santos ( avos maternos ).  Foi criado com os pais e com o irmão, Ubiratan Amorim, aqui em Vitória da Conquista, onde fizeram o curso primário.  Logo depois, os irmãos  foram transferidos para Salvador onde cursaram até o ginásio e  depois, retornaram a Vitória da Conquista,  após o falecimento do pai.  Já adultos continuaram os estudos e assumiram a administração das fazendas da família, focando nas atividades agropecuárias. Os dois irmãos,  Ubiratan Amorim, conhecido como “Bira bigode” e Wilton Amorim, mais conhecido como “ Uita Mamola”,   criaram gado e cavalos, chegando a criar uma raça de cavalo PO chamado “birawita” e assim, começando a participar de grandes exposições agropecuárias, inclusive no Texas nos EUA. Posteriormente mudaram da pecuária para agricultura na qual foram grandes cultivadores de café.  Wilton Amorim, que tinha 3 filhos um homem e duas mulheres, após sua separação, foi morar em Porto Seguro / BA.

De volta a Vitória da Conquista, sua terra natal, mergulhou nos estudos. Em seu escritório - home office - fez grandes descobertas e reflexões: ouvia músicas de excelente qualidade (amava  as rádios russas e americanas), fazia cursos por correspondência, escrevia crônicas e artigos para jornais, etc. Cinéfilo pesquisador e filósofo, Mamola contribuiu  imensamente para cultura  de Vitória da Conquista.  Foi membro  junto com seu irmão, do "Magnatas" um time de futebol e um grupo onde reuniam inúmeros amigos que alegravam e davam vida  a cidade. Um figura folclórica desta terra! 

Wilton era um homem que, na juventude, viajou muito pelo Brasil e pelo mundo. Teve a vida desregrada com seus horários, sim! Mas, a partir de uma certa idade começou a ser disciplinado e religioso,  ficou mais  recluso, resumindo a sua vida social à pouquíssimos amigos e frequentando apenas poucos  estabelecimentos, como a  Chame Chame, mercearia Gloria e o bar do Paulinho - onde ia com mais frequência. Mas, como era uma figura notívaga, atendia os amigos nas madrugadas e cotidianamente conversava com professores universitários, médicos, jornalistas, boêmios, filósofos, filólogos e qualquer um que o procurasse em sua casa. Tínhamos  longos papos ao telefone durante toda a madrugada, como era proveitoso!

Além de inúmeros fatos e episódios inusitados e engraçados, eu mesmo pude presenciar inúmeras facetas deste grande representante da cultura, da sociedade e da produtividade cultural conquistense, chamado Wilton Amorim, o nosso Uita “Mamola”.  

 Eu cheguei a homenageá-lo em 2002 fazendo um singelo filme curta metragem para ele o “MEMÓRIAS DE UM PERDULÁRIO ”.  Uita era uma pessoa extraordinária e única sob todos os aspectos. Vai ser impossível encontrar outro “Mamola”, até no nome ele foi diferente...Uita Mamola...muito mais do que Wilton Amorim... quem é Wilton Amorim perto de “Uita Mamola”?  Ele foi dois e para sempre será. Sabe-se lá onde estão agora.         

 Beto Magno. 

 VM FILMES.